top of page

Movimento Cívico "Nem Mais Uma Palmada" Apela à Erradicação da Violência Infantil em Portugal

Movimento Cívico "Nem Mais Uma Palmada" em Portugal: Uma Chamada à Ação Contra a Violência Infantil


14 junho, 2024 11:45


ATUALIDADE - INFÂNCIA - VIOLÊNCIA - CRIANÇAS - DIREITOS HUMANOS


João Silva


Todos os dias, crianças e jovens são vítimas de agressão física e psicológica em Portugal e em todo o mundo.


Neste Dia Internacional das Crianças Inocentes Vítimas de Agressão, reforçamos a urgência de erradicar a violência das vidas das nossas crianças.


A campanha "Nem Mais uma Palmada" é um apelo à consciencialização sobre as consequências devastadoras dos castigos corporais e a necessidade urgente de uma ação coletiva para proteger os nossos jovens. O objetivo é claro: garantir uma infância livre de violência para todas as crianças.


Uma Parceria para a Proteção das Crianças


Este esforço resulta de uma colaboração entre o Instituto de Apoio à Criança, o Movimento Cívico "Nem Mais Uma Palmada" e a MT 360, que produziu um vídeo impactante para disseminar a mensagem.


Agradecemos profundamente a estas instituições pelo seu empenho e dedicação a esta causa vital.


O spot da campanha destaca a importância de entender e reconhecer os danos causados pelos castigos corporais, muitas vezes subestimados na sociedade.


Com esta iniciativa, pretendemos educar e mobilizar a população para combater esta forma de violência.


Junte-se a Nós: Pelo Direito a uma Infância Sem Violência


Convidamos todos a juntarem-se a esta nobre causa.


Cada um de nós pode fazer a diferença, promovendo um ambiente seguro e amoroso para as crianças.


A violência não é uma forma aceitável de educação ou disciplina. Precisamos de métodos positivos e respeitosos para criar os nossos filhos.


Ao apoiar a campanha "Nem Mais uma Palmada", você está a contribuir para um futuro onde as crianças possam crescer em segurança e dignidade.


Participe, informe-se e ajude a espalhar esta mensagem.


A proteção das nossas crianças depende de todos nós.



Comentários

Avaliado com 0 de 5 estrelas.
Ainda sem avaliações

Adicione uma avaliação
bottom of page