top of page

O novo Grão-Mestre do GODF fala sobre o futuro da República

O novo Grão-Mestre do GODF fala sobre o futuro da República.


O Novo Grão-Mestre do Grande Oriente de França Defende a Abertura e o Compromisso Republicano.


A 7 de setembro de 2023, Guillaume Trichard, o novo Grão-Mestre do Grande Oriente de França (GODF), expressou a sua preocupação com o aumento da extrema-direita e o seu desejo de abertura para "mostrar que a maçonaria não é secreta".


Com 47 anos, Trichard tornou-se Grão-Mestre do GODF em 25 de agosto, assumindo a liderança da mais antiga obediência maçónica francesa, que este ano celebra 250 anos sob a designação de "Grande Oriente de França".


Numa entrevista concedida à revista Le Point, Trichard procurou desmistificar alguns clichês sobre a sua obediência, salientando que "todas as classes sociais e profissionais estão representadas" no seio do GODF.


Atualmente, o GODF conta com 52.500 membros e 1.392 lojas.


Trichard observou um aumento nas candidaturas espontâneas de jovens com idades entre 20 e 30 anos nos últimos três anos, atribuindo esse "impulso" à "política de abertura" destinada a mostrar que a maçonaria "não é secreta".


Como Grão-Mestre, Trichard pretende continuar a promover essa abertura e planeia realizar "jornadas" na próxima primavera, onde as lojas serão encorajadas a abrir as suas portas e a organizar exposições, concertos e debates.


Estes eventos têm como objetivo mostrar que a maçonaria está comprometida com a sociedade.


Trichard manifestou preocupação com o aumento do populismo na Europa, especialmente à luz das eleições europeias de 2024 e da comemoração da Libertação.


O Grão-Mestre teme que os "partidos de extrema-direita, numa Europa em guerra, voltem a vencer em alguns países" e vê "riscos para as eleições municipais de 2026 e as presidenciais de 2027" em França.


"Lojas femininas" - "Os quatro pilares da nossa República indivisível, laica, democrática e social parecem estar em perigo", afirma ele diante de um busto de Marianne, neste templo cuja abóbada ostenta a divisa "Liberdade, Igualdade, Fraternidade".


Após o movimento dos Coletes Amarelos, "esta crise social que ressurgiu com as grandes manifestações contra a reforma das pensões ainda existe", adverte o ex-responsável da Unsa.


Em França, "temos a sensação de que a nossa República está hoje ameaçada, nomeadamente pelo risco muito provável de ascensão da extrema-direita ao poder", acrescenta ele, vendo "riscos para as eleições municipais de 2026 e as presidenciais de 2027".


Este percurso sindical "faz com que a justiça social esteja no meu ADN. Mas também está no ADN do Grande Oriente de França há décadas".


"Para que uma República seja forte, precisa de serviços públicos fortes. Os maçons apresentarão propostas sobre o acesso aos cuidados de saúde, à educação, à polícia, à justiça... até que tenhamos respondido concretamente a esses problemas que dão aos franceses a sensação de serem esquecidos pela República, não basta usar palavras grandiosas para deter o crescimento da extrema-direita", adverte.


"Achamos que é necessário reparar a República", afirma o responsável, que atribui ao GODF um papel de "sentinela": "Não somos um partido político, não somos uma organização sindical, mas uma organização que visa transmitir um conjunto de ideias no debate público".


Enquanto o regresso às aulas é marcado por um debate sobre a laicidade, o Grão-Mestre diz estar "obviamente" a favor da proibição do uso do véu na escola, mas assegura: "o importante agora é apoiar os professores" para que a escola "continue a ser um local de neutralidade religiosa, mas também política".


Quanto à feminização da obediência, iniciada em 2010, Guillaume Trichard sublinha a "liberdade" deixada às lojas nesta matéria: "algumas são masculinas, outras são mistas e talvez tenhamos lojas femininas".


A obediência conta com 6.147 "irmãs" e três delas foram recentemente eleitas para o Conselho da Ordem.


"Pode-se imaginar que daqui a alguns anos uma irmã será Grã-Mestre", recorda Guillaume Trichard, "não feminizamos os títulos"."

0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page