"Conheço vários casos em que os tribunais de família continuam a impor visitas com os agressores"