top of page

Alarme na Justiça: 9% dos Juízes Portugueses Consomem Drogas e Álcool para Lidar com o Stress Profissional

Consumo de Drogas e Álcool Entre Juízes Portugueses Revela Alarmantes Níveis de Stress Profissional


Estudo Revela que 9% dos Juízes Portugueses Recorrem a Drogas e Álcool para Combater o Stress


Um estudo académico, impulsionado pela Associação de Juízas Portuguesas e apoiado pelo Conselho Superior da Magistratura, revela dados preocupantes sobre o consumo de drogas e álcool entre os juízes portugueses.


Cerca de nove por cento dos magistrados admitem utilizar substâncias como haxixe e cocaína como forma de lidar com o stress profissional.


Além disso, mais de onze por cento dos juízes recorrem ao álcool para enfrentar as pressões inerentes à carreira.


O estudo, que tinha como objetivo avaliar o nível de stress ocupacional e 'burnout' em profissões forenses, envolveu 690 profissionais, incluindo 342 juízes, 282 advogados e 66 procuradores.


Os resultados indicam que os juízes são os que apresentam os maiores índices de stress no contexto das profissões forenses.


Mauro Paulino, psicólogo forense envolvido no estudo, destaca que os juízes enfrentam uma perceção elevada de sobrecarga de trabalho e isolamento social associado às suas funções, levando-os a recorrer a estratégias de enfrentamento menos saudáveis.


O consumo de drogas e álcool como mecanismos para enfrentarem o stress foi mais prevalente entre os juízes do que entre os advogados e procuradores.


Os juízes também são os que mais procuram apoio psicológico e psiquiátrico, refletindo uma necessidade urgente de lidar com as pressões da carreira.


Curiosamente, os advogados e procuradores demonstraram índices menores de consumo de bebidas alcoólicas e de substâncias ilícitas, sendo que nenhum dos 66 procuradores admitiu o uso de drogas.


Para os investigadores, esses resultados são alarmantes, destacando a fragilidade do sistema de justiça em relação à saúde mental e ao bem-estar profissional dos seus membros.


Estudos futuros poderão explorar medidas para mitigar o stress ocupacional e promover um ambiente de trabalho mais saudável no setor da justiça em Portugal.


Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page