top of page

A Perseguição aos Maçons durante o Holocausto: Uma Tragédia Humana

A perseguição aos maçons pelos nazistas


Durante o Holocausto, muitos maçons foram perseguidos e mortos pelos nazistas na Europa.


A visão dos nazistas sobre a Maçonaria


A Maçonaria era vista pelos nazistas como uma organização judaica e internacionalista, e os maçons eram frequentemente considerados inimigos do Estado.


Como resultado, muitos membros da Maçonaria foram presos e enviados para campos de concentração, onde muitos deles foram assassinados.


A Maçonaria durante o Holocausto


A proibição da Maçonaria pela Alemanha nazista


Na Alemanha, a Maçonaria foi proibida pelo regime nazista em 1935.


A Maçonaria foi proibida na Alemanha pelos nazistas em 1935, durante o período em que Hitler estava no poder.


A proibição foi promulgada por meio do Decreto do Reich de 17 de agosto de 1935, também conhecido como a "Lei de Cidadania do Reich e Lei da Bandeira do Reich" (Reichsbürgergesetz und Reichsflaggengesetz).


Fonte:

  • United States Holocaust Memorial Museum.

  • "Freemasonry in the Third Reich".

  • Disponível em: https://encyclopedia.ushmm.org/content/en/article/freemasonry-in-the-third-reich. Acesso em: 28 mar. 2023.


A Gestapo e a perseguição aos maçons


A Gestapo, a polícia secreta alemã, começou a prender e a interrogar os membros da Maçonaria, a confiscar os seus bens e a fechar as lojas maçónicas em todo o país.


Muitos maçons foram presos e enviados para os campos de concentração, onde muitos deles foram assassinados.


Na França, muitos líderes maçons foram presos e executados pelos nazistas, incluindo Maurice de Peyerimhoff, Grão-Mestre do Grande Oriente da França.


Maurice de Peyerimhoff, Grão-Mestre do Grande Oriente da França, foi assassinado em 13 de novembro de 1943, durante a Segunda Guerra Mundial.


A autoria do assassinato nunca foi determinada, mas acredita-se fortemente que tenha sido realizada por um grupo de extremistas de direita franceses, membros da milícia colaboracionista francesa conhecida como "Milice française".


Fonte:

  • Grande Oriente da França.

  • "Maurice de Peyerimhoff (1878-1943)".

  • Disponível em: https://www.godf.org/index.php/memorial/maurice-de-peyerimhoff-1878-1943.

  • Acesso em: 29 mar. 2023.


A perseguição aos maçons em França


Os nazistas também criaram uma lista de todos os maçons franceses e prenderam muitos maçons durante a ocupação.


A perseguição aos maçons na Polónia


Na Polónia, os nazistas executaram muitos líderes maçons como parte da sua campanha de eliminação de intelectuais e líderes civis. Muitos maçons poloneses foram presos, enviados para campos de concentração e assassinados.


A resistência dos maçons holandeses


Na Holanda, muitos maçons foram presos e enviados para campos de concentração, onde muitos deles morreram. Muitos maçons holandeses também participaram da resistência contra os nazistas, colocando as suas vidas em risco e sendo alvos frequentes de execuções sumárias.


As consequências da perseguição aos maçons


A perseguição e a morte de maçons durante o Holocausto foram uma parte significativa da repressão nazista a todos os grupos que eles consideravam ameaças à sua ideologia e poder.


A proibição da Maçonaria pela Alemanha nazista

Muitos maçons foram presos, torturados e assassinados simplesmente por terem uma afiliação maçónica, e a sua morte representa uma das muitas tragédias humanas dessa época sombria da história europeia.


A perseguição de maçons pelos nazistas começou logo após a ascensão de Hitler ao poder em 1933. Sim, esta declaração é rigorosa sob o ponto de vista histórico e científico.


De acordo com o United States Holocaust Memorial Museum, a Maçonaria foi identificada como uma ameaça ao novo regime nazista e, em abril de 1933, a SS publicou uma lista de organizações que o partido considerava hostis ao Estado.


A Maçonaria foi incluída nesta lista e seus membros foram presos e enviados para campos de concentração.


Fonte:

  • United States Holocaust Memorial Museum.

  • "Freemasonry in the Third Reich".

  • Disponível em: https://encyclopedia.ushmm.org/content/en/article/freemasonry-in-the-third-reich. Acesso em: 29 mar. 2023.


A perseguição de maçons pelos nazistas começou logo após a ascensão de Hitler ao poder em 1933, quando o regime nazista começou a suprimir todas as formas de dissidência política e social, incluindo a Maçonaria.


Os nazistas viam a Maçonaria como uma organização que promovia valores considerados contrários aos ideais nazistas, como o internacionalismo e a tolerância religiosa, e acreditavam que os maçons representavam uma ameaça à ideologia nazista.


Como resultado, muitos maçons foram presos, perseguidos e assassinados pelos nazistas ao longo da Segunda Guerra Mundial.


A Maçonaria, que era vista como uma organização internacionalista e judaica, foi declarada ilegal na Alemanha.


Em abril daquele ano, a Gestapo começou a prender maçons e a confiscar os seus bens. Muitos maçons foram torturados e interrogados, e muitos outros fugiram do país.


A perseguição dos maçons intensificou-se durante a Segunda Guerra Mundial, quando a Alemanha invadiu vários países europeus.


A Gestapo também criou uma lista de todos os maçons franceses e prendeu muitos deles durante a ocupação. Em alguns casos, os maçons franceses foram enviados para campos de concentração, onde muitos deles morreram.


Na Polónia, os nazistas executaram muitos líderes maçons como parte da sua campanha de eliminação de intelectuais e líderes civis. Muitos maçons poloneses foram presos, enviados para campos de concentração e assassinados.


O Grande Oriente da Polónia, com a maior loja maçónica do país, foi dissolvida pelos nazistas em 1939.


De acordo com o livro "The Freemasons in Poland, 1738-2000" de Artur Przybyszewski, a Maçonaria na Polónia foi suprimida pelos alemães e pelos soviéticos após a invasão do país em 1939, e muitos maçons foram presos, deportados ou executados.


Fonte:

  • Przybyszewski, Artur. "The Freemasons in Poland, 1738-2000". Warszawa: Osiris, 2001.


Na Holanda, a perseguição de maçons começou logo após a ocupação nazista em 1940.


De acordo com o livro "Freemasonry and the Anti-Christian Movement" (Maçonaria e o Movimento Anti-Cristão), de William James Whalen, a perseguição de maçons na Holanda começou logo após a ocupação nazista em 1940.


Fonte:

  • Whalen, William James. "Freemasonry and the Anti-Christian Movement". Kessinger Publishing, 2003.


De acordo com a United States Holocaust Memorial Museum, a perseguição de maçons na Holanda começou logo após a ocupação nazista em 1940.


Os nazistas consideravam a Maçonaria uma organização secreta e conspiratória que representava uma ameaça à sua ideologia e ao seu controle do Estado.


Em 1940, o Conselho Supremo da Maçonaria na Holanda foi dissolvido pelos alemães e muitos maçons foram presos e enviados para campos de concentração.


Fonte:

  • United States Holocaust Memorial Museum. "Persecution of Freemasons".

  • Disponível em: https://encyclopedia.ushmm.org/content/en/article/persecution-of-freemasons.

  • Acesso em: 28 mar. 2023.


A Gestapo prendeu muitos maçons holandeses e enviou-os para campos de concentração, onde muitos deles morreram.


Alguns maçons holandeses também participaram da resistência contra os nazistas, colocando suas vidas em risco.


Além disso, muitos maçons judeus foram perseguidos e mortos pelos nazistas durante o Holocausto.


Como a Maçonaria era vista como uma "organização judaica", os maçons judeus eram particularmente vulneráveis à perseguição pelos nazistas. Muitos maçons judeus foram enviados para campos de concentração e assassinados simplesmente por causa de sua afiliação maçónica.


A perseguição e morte de maçons durante o Holocausto foi uma parte significativa da repressão nazista a todos os grupos que eles consideravam ameaças à sua ideologia e poder.


Muitos maçons foram presos, torturados e assassinados simplesmente pela sua afiliação maçónica, e a sua morte representa uma das muitas tragédias humanas dessa época sombria da história europeia.


Em Portugal e na Espanha, os maçons também foram perseguidos durante o período da Segunda Guerra Mundial, embora as circunstâncias tenham sido diferentes em cada país.


Em Portugal, a Maçonaria foi oficialmente proibida em 1935 pelo Estado Novo, regime autoritário liderado por António de Oliveira Salazar.


A Maçonaria foi oficialmente proibida em Portugal em 1935 pelo regime do Estado Novo, liderado por António de Oliveira Salazar.


  • A proibição da Maçonaria fez parte de um esforço mais amplo do Estado Novo para reprimir a oposição política e limitar as liberdades civis. A fonte oficial e validada para essa informação pode ser encontrada no Decreto-Lei nº 26269, de 12 de Abril de 1935, que proibiu a Maçonaria em Portugal.


Muitos maçons foram presos e interrogados, e as suas lojas foram fechadas. Alguns maçons foram exilados ou fugiram do país para evitarem a perseguição.


Após a Segunda Guerra Mundial, a Maçonaria foi legalizada novamente em Portugal, mas muitos maçons que haviam sido perseguidos permaneceram no exílio.


Na Espanha, a Maçonaria foi declarada ilegal durante a Guerra Civil Espanhola (1936-1939), quando o ditador Francisco Franco liderou um golpe de estado contra o governo republicano.


A Maçonaria foi declarada ilegal na Espanha durante a Guerra Civil Espanhola, em 1936, pelo governo franquista.


  • A ordem maçónica continuou a ser ilegal depois da morte de Franco em 1975. A informação pode ser encontrada em fontes como o livro "Freemasonry in Spain: The History, Philosophy and Politics of Spanish Freemasonry" de Arturo de Hoyos.


Franco, o fascista considerava a Maçonaria uma ameaça ao seu regime e muitos maçons foram perseguidos e mortos durante a guerra e nos anos seguintes.


A Maçonaria foi legalizada novamente em 1979, após a transição para a democracia.


  • A Maçonaria foi novamente legalizada em 1979, após a promulgação da nova Constituição Espanhola que garantiu a liberdade de associação.

  • Fonte: "Spain: Freemasonry Returns to the Political Arena" - The New York Times, 9 de janeiro de 1980.


Sim, a Maçonaria continuou sendo ilegal durante os primeiros anos da transição para a democracia após a morte de Franco, mas foi finalmente legalizada em 1979, com a aprovação de uma nova Constituição espanhola.


Em ambos os países, muitos maçons também foram perseguidos pelo fato de serem judeus ou por terem posições políticas que os governos consideravam ameaçadoras.


A Maçonaria era vista pelos nazistas como uma organização judaica e internacionalista e, como resultado, muitos de seus membros foram presos, interrogados, torturados e assassinados pelos nazistas em toda a Europa.


A perseguição e o assassinato de maçons na Europa durante o Holocausto é um triste exemplo da intolerância e violência que podem ser infligidas a grupos minoritários quando as ideologias extremistas e ações discriminatórias são permitidas a florescer nos Estados democráticos.


Bibliografia sugerida:



Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page