Buscar
  • My Fraternity

Os 33. Uma relação dos mineiros chilenos com a Maçonaria? Tire as suas conclusões e partilhe a sua o


OME: 33, Os (The 33)

PAÍS: EUA, Chile - ANO: 2015 GÉNERO: Drama DIRECTOR: Patrícia Riggenn ELENCO: António Banderas, Rodrigo Santoro, Juliette Binoche

MAÇONARIA: «Observando o evento do Chile, a interrupção do túnel onde os mineiros estavam em actividades, devemos conseguir extrair dali ensinamentos maçónicos?

Num dado momento um grupo de 33 homens, este número não é por acaso, são privados do bem maior, a liberdade, e depois dos seus patrimónios ou pertenças.

Ficam às escuras num espaço limitado, uma caverna, obrigados a organizarem-se e a instalar um líder (Venerável), a estabelecer a obediência e seguir as regras emanadas; desenvolver a paciência, a tolerância, a solidariedade, o espírito de união, e ter actividades laborativas.

Estes princípios, ainda que praticados num grupo de pessoas possivelmente alheias aos ensinamentos maçónicos, foi determinante para os conduzir à Luz.

Tudo isto teve a aceitação do Grande Arquitecto do Universo.

Podemos verificar que encontraremos outras respostas maçónicas importantes naquele evento. «Os mineiros chilenos, naquele momento, eram todos “neófitos”, encerrados numa Câmara de Reflexões que é natural. Fica a ideia do exercido dos rituais que os neófitos, nas suas Iniciações, exercem. Devem ter escrito os seus testamentos, realizadas as suas reflexões, proferido as suas orações. Despediam-se da vida anterior, para, se lhes fosse dado novamente a oportunidade de ver a luz do sol, nascerem para uma nova vida. Esse é o significado do simbolismo contido nesse interessante arquétipo, que é a Iniciação. Toda a vida é uma jornada em busca da luz. E da mesma forma que o iniciado nos Sublimes Mistérios da Maçonaria ou de outras práticas arcanas semelhantes, os mineiros chilenos devem ter sentido o mesmo sentimento que o neófito sente quando lhe é tirada a venda dos olhos e ele recebe, na presença dos Irmãos a Luz.

O Irmão Francisco Del Poente teve uma bela inspiração ao relembrar as coincidências significativas existentes entre o episódio dos mineiros chilenos e as tradições maçónicas. Não é toa que à cápsula que os resgatou foi dado o nome muito sugestivo de Fénix. Fénix é o mítico pássaro que renasce das cinzas e na Maçonaria tem um significado simbólico bastante explorado nos graus filosóficos. (Crónica ‘Iniciados do Atacama’, de João Anatalino).

#freemasonry