PARTIU PARA A CASA DO PAI, o Cónego Adérito Augusto Custódio, aos 85 anos

PARTIU PARA A CASA DO PAI Partiu para a casa do Pai, o Cónego Adérito Augusto Custódio, aos 85 anos.

Natural da freguesia de Vinhas, no concelho de Macedo de Cavaleiros, recebeu o sacramento do baptismo em 15 de janeiro de 1933. Ingressou no Seminário de Vinhais em 1946 tendo transitado para o Seminário de S. José, em Bragança. Foi ordenado presbítero em 27 de julho de 1958, por D. Abílio Vaz das Neves.

Pároco das comunidades de Parâmio, Mofreita e Dine, entre 1958 e 1967, também exerceu funções pastorais no concelho de Vimioso, entre 1967 e 1982, nomeadamente nas comunidades de Vimioso, Pinelo, Vale de Pena, Vale de Frades, S. Joanico e Serapicos, Algoso e Vale de Algoso, Campo de Víboras, Uva, Mora e Vila Chã da Ribeira.

Nesse período de tempo contribuiu para a implementação dos ensinos preparatório e secundário naquele concelho. Foi vice-presidente da Escola Preparatória de S. Vicente, secretário da Santa Casa da Misericórdia e vereador da cultura da Câmara Municipal de Vimioso.


Durante 27 anos foi arcipreste de Vimioso e Bragança e em 1983 foi nomeado Pároco do Vicariato de S. Francisco de Assis, na cidade de Bragança, que se viria a tornar na Paróquia de S. Bento e S. Francisco, com a anexa de Vale de Lamas, e mais tarde com as anexas Quintas da Seara e Quinta das Carvas.


Foi diretor espiritual da comunidade das Doroteias, do Colégio do Sagrado Coração de Jesus, do Apostolado da Oração e dos Cursos de Cristandade. Membro do Colégio de Consultores da Diocese até 1995, Confessor do Seminário, o sacerdote também foi Vigário Episcopal dos Leigos e Família na década de 90.


Fundou o Agrupamento 786 do Corpo Nacional de Escutas e exerceu os cargos de Presidente e vice-presidente da Casa do Clero, paroquiando também as comunidades de Castrelos e Conlelas, em Bragança.

Além da formação teológica licenciou-se em Filosofia, e História pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.


Foi professor de história nas Escolas Secundárias Miguel Torga e Emídio Garcia, em Bragança. Autor de várias obras literárias também colaborou em publicações regionais.


Representou a Diocese na Fundação “Os Nossos Livros” e foi Capelão da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Bragança e da Santa Casa da Misericórdia de Bragança.


Em 2008 foi distinguido com a Medalha de Mérito do Município de Bragança pelo seu «trabalho no âmbito da solidariedade social», ao construir o Centro Social Paroquial de S. Bento e S. Francisco «no centro histórico da cidade» de Bragança.


O seu corpo encontra-se depositado na Cripta da Catedral, em Bragança.


Hoje, pelas 21h00, será celebrada uma Eucaristia na cripta da Catedral, a que preside o bispo diocesano, D. José Cordeiro.


A celebração das exéquias está prevista para este sábado, dia 2 de junho, pelas 14h00, na Catedral. In, Arciprestado de Moncorvo


O My Fraternity apresenta aos famiiares e à Igreja Católica os nossos sentidos pêsames.