CUBA: «Mais liberdade para as religiões e associações espirituais?»

O Jornal digital Deutschlandfunk resolveu publicar uma reportagem e debruçou-se sobre Cuba, tendo escolhido o título sugestivo que apresentamos. A reportagem foi realizada pelo jornalista Burkhard Birke.


Poderá ler a referida reportagem completa no link abaixo. Salientamos, no entanto, esta pequena declaração:


"Por um tempo fomos perseguidos, porque os maçons e activistas religiosos não tiveram acesso a universidades e empregos, e mais tarde isso mudou completamente. Agora há um bom entendimento entre o governo, o partido, os maçons e as instituições religiosas [...] há reuniões regulares com uma festa a cada três ou quatro meses ".


Como se constata, até para a Igreja foi benéfica este situação, permitindo que aceitem a maçonaria como uma "associação espiritual".

Para mais adiante, declarem:


"É um milagre que, ao contrário da União Soviética ou da República Democrática Alemã, os maçons foram autorizados em Cuba. Isso tem a ver com o fato dos combatentes da liberdade cubanos terem estado ao lado do herói nacional e poeta José Martí, também ele um Maçon. Por outro lado, também há uma lenda sobre Fidel Castro e do período revolucionário. É relatado que um dos policias que o capturou na Sierra Maestra era um maçon e garantiu-lhe que nada lhe iria acontecer."


A Maçonaria Cubana é uma sobrevivente da revolução cubana, que daqui saudamos. Saudamos também a Igreja cubana pela aceitação comum.

Grão-Mestre da Grande Loja de Cuba

A reportagem pode ser vista na íntegra. AQUI