top of page

Maçonaria Feminina: Patricia Planas e a Busca pela Emancipação e Igualdade de Género

Patricia Planas: Uma Líder na Maçonaria Feminina e Defensora da Emancipação da Mulher.


Quando tinha 20 anos, Patricia Planas (Barcelona, 1968) teve uma entrevista casual com um maçon, o que despertou imediatamente o seu interesse pelo tema.


Essa atração levou-a a envolver-se com a maçonaria nos anos seguintes. Entre 2015 e 2018, alcançou o cargo de Grã Mestra na Grande Loja Feminina de Espanha.


Numa sexta-feira, Patricia visitou a Ilha de Baleares, a convite da Grande Loja Provincial de Baleares, num evento realizado na Casa do Livro.


Questionada se foi à procura da maçonaria ou se foi a maçonaria que a encontrou, Patricia respondeu que foi uma combinação de ambos os fatores.


Durante a entrevista com o maçon, aos 20 anos, ela sentiu-se atraída e interessada em fazer parte da maçonaria.


Porém, o entrevistado mencionou que a maçonaria era vedada às mulheres. Foi apenas anos depois, durante uma conversa com um amigo, que ela descobriu a existência da maçonaria feminina.


Ela pesquisou na internet e entrou em contato com a Grande Loja Feminina de Espanha, iniciando assim o seu percurso maçónico.


Ao longo dos anos, Patricia alcançou o cargo de Grande Mestra.


A maçonaria feminina, em comparação com a maçonaria masculina, enfatiza a emancipação da mulher e destaca os símbolos relacionados com o trabalho feminino, ressaltando que a maçonaria não existe sem a emancipação da mulher.


Os princípios universais de liberdade, igualdade e fraternidade são os valores fundamentais na maçonaria feminina, e acredita que esses princípios devem incluir tanto homens quanto as mulheres.


Quanto à simbologia, ela explica que a simbologia é a mesma em todas as organizações maçónicas, independentemente do género.


As diferenças entre as lojas maçónicas não estão relacionadas com o género, mas sim com a evolução das diferentes tradições maçónicas.


Patricia destaca que, se reunirmos maçons e maçonas que trabalham em lojas femininas, masculinas e mistas, provenientes de 100 países diferentes, eles se sentirão em casa e serão capazes de se entender por meio dos símbolos, superando barreiras culturais, linguísticas, de género e religião.


Ainda não existe uma loja maçónica feminina nas Baleares, Espanha, mas Patricia revela que estão a trabalhar para tornar isso uma realidade.


O objetivo é promover o conhecimento da maçonaria feminina entre as mulheres das Baleares e facilitar o contato com a organização para aquelas que estiverem interessadas.


Como líder de cerca de 600 maçonas na Espanha, Patricia destaca que a maçonaria feminina está mais ativa do que nunca em todo o mundo, com vínculos e relações entre todas as suas congéneres.


Em 1982, foi criado o Centre de Liaison International de la Maçonnerie Féminine (CLIMAF), que representa mais de 25.000 mulheres maçonas e tem como objetivo promover os valores universais e democráticos da maçonaria por meio da reflexão, intercâmbio e ações conjuntas.


Em 2022, foi assinado um acordo de colaboração entre o CLIMAF e a Federação Americana de Maçonaria Feminina, visando fortalecer a união e a realização de projetos em conjunto.


A Grande Loja Feminina de Espanha teve um papel fundamental na aproximação dessas duas grandes organizações maçónicas femininas.


Quanto às críticas e aos rumores sobre as Lojas maçónicas, Patricia ressalta que, atualmente, apenas setores extremistas políticos e/ou religiosos criticam a maçonaria.


Ela destaca que a maçonaria faz parte da sociedade atual, sendo um elemento dinamizador da vida social e da democracia.


A maçonaria é uma escola que promove a liberdade de consciência, publica grande parte dos seus trabalhos e permite o acesso às diferentes organizações maçónicas pelo meio da internet.


É uma associação de pessoas com inquietações na procura de autoconhecimento e que procuram contribuir para a melhoria da sociedade. Portanto, as vozes que criticam a maçonaria acabam por se desacreditarem a si mesmas.


A maçonaria, no século XXI, é uma instituição integrada na sociedade contemporânea, que PROCURA promover os valores democráticos e universais.


É um espaço de reflexão, intercâmbio e colaboração, onde homens e mulheres se encontram para partilhar experiências e ideias, além de contribuir para o desenvolvimento pessoal e social.


A história de Patricia Planas é um exemplo de como a maçonaria pode despertar interesse e transformar vidas.


A sua jornada na maçonaria feminina demonstra o compromisso com a emancipação da mulher e a busca por valores fundamentais, como liberdade, igualdade e fraternidade.


Através do diálogo e do trabalho em conjunto, a maçonaria feminina tem o objetivo de promover uma sociedade mais justa e inclusiva.


O convite de Patricia Planas para a formação de uma Loja feminina nas Baleares reflete o desejo de expandir o alcance da maçonaria e proporcionar às mulheres da região a oportunidade de participar dessa irmandade.


O compromisso com a diversidade e a valorização da igualdade de género são pilares fundamentais da maçonaria feminina, que busca criar espaços de encontro.


A trajetória de Patricia Planas na maçonaria feminina e seu papel como Grã-Mestra da Grande Loja Feminina de Espanha evidenciam o compromisso com a emancipação da mulher e a promoção dos valores universais.


A maçonaria feminina busca a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, onde homens e mulheres possam partilhar espaços de diálogo, respeito e colaboração.

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page