Judaísmo - A PARASHÁ DE ONTEM!

Judaísmo - A PARASHÁ DE ONTEM!


Na porção desta semana da Torá, Êkev, Moshê contempla o povo judeu que estava há 40 anos no deserto e menciona duas vezes o maná que eles tinham comido. Em ambas as vezes, Moshê parece sugerir que comer o maná de certa forma foi desagradável. ""[Ele] vos alimentou no deserto com maná… que Ele vos afligiu."


De fato, os Filhos de Israel reclamaram amargamente: "Nossa alma está sedenta; não há nada exceto este maná perante nossos olhos. Nossa alma abomina este pão leve."

À primeira vista, a reclamação deles é surpreendente, visto que a Torá descreve o maná como um milagroso alimento delicioso e Divino, pois adquiria o sabor que a pessoa desejasse e era aproveitado completamente pelo corpo humano, não sobrando resíduos.

Como um alimento tão maravilhoso podia ser considerado um "tormento"?


No entanto, o Talmud explica que foram exatamente estas qualidades que deixaram os judeus com uma sensação de fome. Era difícil acostumar com este "pão dos céus" que não deixava resíduos cuja cor e forma era diferente de tudo que existia no mundo. Os judeus queriam pão comum, "pão da terra". Ansiavam por comida com a aparência que conheciam anteriormente.


Porém a verdade é que o ressentimento dos judeus foi motivado pela má inclinação. A princípio, a má inclinação atrai a pessoa para pecados menores, aos poucos abrindo seu caminho para faltas mais graves. Assim ocorreu com os Filhos de Israel. Eles começaram reclamando sobre o maná, depois avançaram para "choro entre as famílias", implicando transgressões na área da vida familiar.


O modo de agir da má inclinação nunca muda, e mesmo atualmente, a má inclinação ainda se irrita contra "o pão dos céus". Simbolicamente, "pão dos céus" significa Torá e sabedoria Divina, ao passo que "pão da terra" é conhecimento mundano, secular. A má inclinação tenta fazer o judeu ficar insatisfeito com seu "pão dos céus" e convencê-lo de que uma dieta regular de Torá o deixará faminto. "A Torá é interminável" – sussurra em seu ouvido. "Jamais se consegue aprendê-la totalmente; quanto mais se estuda, mais se percebe o quanto é infinita. Por que não voltar a mente para assuntos mundanos? Pelo menos se atingirá um sentimento de plenitude e satisfação."


Num nível ainda mais sutil, a má inclinação tenta dissuadir um judeu de estudar Chassidut, a parte oculta da Torá, que também é comparada ao "pão dos céus". A parte revelada da Torá, o "pão da terra", é suficiente, alega a má inclinação.


Porém a verdade é exatamente o oposto. Como a essência do judeu é espiritual, ele jamais pode se satisfazer com assuntos mundanos. Somente a Torá, e sua parte mais profunda, pode completar a alma, pois é através da Torá que o judeu se conecta com o Infinito.


Adaptado de Likutei Sichot, vol. 4


#Parashá #Judeu #Judaísmo