Bispos católicos defendem opção dos «cuidados paliativos» como alternativa que respeita a vida