OS DEZ PRINCIPAIS ITENS QUE VOCÊ NUNCA SOUBE SOBRE HÁNUCA

OS DEZ PRINCIPAIS ITENS QUE VOCÊ NUNCA SOUBE SOBRE HÁNUCA


1. Enquanto o feriado de Hanucá celebra a vitória (após três anos de guerra) entre o império grego e os Macabeus, foram necessárias mais duas décadas para que os Macabeus expulsassem os gregos de toda a antiga Israel.

2. A celebração de Hánuca, que começou com a rededicação do Templo Sagrado de Jerusalém, ocorreu no dia 25 do mês judaico de Kislev. Esta data já era muito significativa na história judaica antiga. O Templo móvel (mishcán) que o povo judeu construiu sob a direção de Moisés durante seus 40 anos de peregrinação no deserto do Sinai foi concluído no dia 25 de Kislev. Além disso, a pedra fundamental do Segundo Templo de Jerusalém foi colocada no dia 24 de Kislev (515 AEC) e a celebração ocorreu naquela noite, 25 de Kislev.

3. A 25ª palavra na Torá é “or - luz”, muito apropriada para o feriado conhecido como “Festival das Luzes”.

4. A 25º localidade em que o povo judeu acampou durante seus 40 anos de peregrinação no deserto é chamada de "Hashmona" (Números 33:29). Esta palavra é impressionantemente semelhante a “hasmoneus”, o nome da dinastia judaica que governou Israel após a derrota milagrosa sobre os gregos.

5. O objetivo de acender a menorá é divulgar o milagre que ocorreu em Hanucá - assim, ela deve ser colocada em um local que seja vista por outras pessoas. Em Israel, as menorás são acesas do lado de fora de casa, perto da calçada, em caixas de vidro especialmente feitas para isso. Em alguns lugares, as menorás são acesas dentro de casa, porém perto de uma janela que dá para a rua.

6. A tradição de dar dinheiro (“Hánuca guelt”) às crianças vem de longa data. Segundo o rabino Avraham Gambiner (que viveu no século XVII e é o autor do livro Maguen Avraham, uma esplêndida explicação sobre o Shulchan Aruch, o código de leis judaico), era costume os estudantes pobres das Yeshivás visitarem as casas de benfeitores que distribuíam dinheiro para Hánuca.

7. Segundo outros, o Hánuca guelt está ligado à vitória milagrosa dos Macabeus sobre os antigos gregos. Para celebrar sua liberdade, eles cunharam moedas nacionais. Em 1958, o Banco de Israel emitiu moedas comemorativas para uso como Hánuca guelt. Estas moedas exibiam a imagem da mesma menorá que apareceu nas moedas dos Macabeus há 2.000 anos.

8. A menorá no emblema do Estado de Israel foi tirada da imagem da menorá encontrada no Arco de Tito, em Roma. Essa menorá, que representa a menorá que foi levada a Roma após a destruição do Segundo Templo, é diferente daquela que usamos em Hanucá. Aquela usada no Templo Sagrado de Jerusalém tinha sete braços, enquanto a menorá usada em Hánuca tem oito braços (representando o milagre dos oito dias de Hánuca).

9. O Rambam (Rabino Moshe ben Maimon (Maimônides) (Espanha e Israel, 1135-1204) - o grande codificador da lei judaica e conhecido médico e filósofo do século XI) escreve que a mitsvá de acender as velas do Hánuca é muito querida e é necessário fazer todos os esforços para cumprir essa mitsvá. Ele conclui com o seguinte belo pensamento: "A luz no lar promove o Shalom (paz) e a Torá foi dada para promover a paz no mundo".

10. O costume ‘rigorosamente cumprido’ de se comer alimentos fritos (latkes, sonhos, donuts, etc.) para comemorar o milagre de Hánuca não é exatamente uma dieta adequada. Um sonho médio (rosquinha ou donut recheado com geléia) tem entre 400 a 600 calorias. Em Israel, estima-se que 24 milhões de donuts sejam consumidos durante o feriado de oito dias - o equivalente a 10,8 bilhões de calorias.

Alguém tem um pavio?

Rabino Ytzchak Zweig



#Judaísmo #Judeu #Hánuca