20 Fatos Sobre Circuncisão Judaica Que Todos Deveriam Saber! | @Menachem Posner

20 Fatos Sobre Circuncisão Judaica Que Todos Deveriam Saber!

Por Menachem Posner



1 – D'us ordenou a Avraham para circuncidar a si mesmo

Quando Avraham tinha 99 anos de idade. D'us apareceu a ele e o instruiu a circuncidar a si mesmo e todos os membros de sua família, incluindo seu filho de 13 anos, Yshmael. Após a circuncisão, D'us enviou anjos para informar a Avraham que sua esposa Sara daria à luz a Ytschac, o herdeiro há muito esperado da tradição de Avraham.


2 – Ytschac foi o primeiro a ser circuncidado no 8º dia de vida D'us disse a Avraham que a circuncisão deveria ocorrer no 8º dia de vida. Yitschac, nascido quando Avraham e Sara tinham 100 e 90 anos de idade, foi o primeiro a ser circuncidado no 8º dia de vida.


3 – A circuncisão é chamada de brit (ou bris) milá Em hebraico, brit (ou bris na clássica pronúncia askenazita) significa “pacto”, e milá significa circuncisão. Assim Brit Milá é o pacto da circuncisão, o sinal da conexão eterna do povo judeu com D'us.


4 – A Pessoa que realiza um Brit Milá é conhecida como Mohel O mohel é especialmente treinado para realizar a circuncisão. Tecnicamente, a obrigação de circuncidar é do pai, mas é prática padrão o pai delegar essa mitsvá a um mohel especializado. Embora seja costumeiro (e adequado) compensar o mohel, a tradição nos diz que esse é um serviço gratuito. Se um mohel se recusa a circuncidar o filho de pais pobres sem cobrar, o beit din (tribunal judaico) deveria censurá-lo “porque essa não é e estilo da semente de Avraham.”


5 – Não há circuncisão feminina no Judaísmo O Talmud nos diz que as mulheres nascem “circuncidadas”, i.e., já possuindo a santidade adicional que vem com o Brit Milá. Portanto não há cerimônia correspondente (e com certeza nenhum procedimento cirúrgico) para mulheres judias.


6 – A circuncisão é feita tipicamente pela manhã O oitavo dia inteiro (começando ao nascer do sol) é casher para a circuncisão, mas não o horário noturno. Porém, o costume é realizar a cerimônia no início da manhã – demonstrando nossa empolgação em cumprir a mitsvá o mais breve possível.


7 – A segurança da criança tem precedência Durante a consulta pré-brit, o mohel irá inspecionar a criança. Se ele suspeitar de que a contagem de bilirrubinas é alta ou se vir qualquer outra causa para preocupação, como baixo peso [o ideal são 3 kilos ou próximo disso] a circuncisão é adiada até que ele (ou o pediatra) estejam absolutamente seguros de que não há risco à saúde.


8 – Um brit é (geralmente) realizado mesmo no Shabat ou feriados judaicos É uma obrigação circuncidar um menino judeu no oitavo dia após seu nascimento, mesmo se a data coincidir com o Shabat, deverá ser realizado e não adiado, se não houver razão para isso. “Notável é a circuncisão”, dizem os sábios, “que supera o rigor do Shabat.” No entanto, isso se aplica somente se o brit realmente coincidir com o oitavo dia no Shabat e após um parto normal. Se a criança nasceu por meio de cesariana ou se a circuncisão for adiada por qualquer motivo (incluindo preocupações de saúde), não será realizada no Shabat ou em feriados judaicos.


9 – Uma cadeira é colocada para o Profeta Eliahu que comparece a todo Brit Milá Segundo a tradição mística, o Profeta Eliahu era muito crítico sobre o povo judeu. “Eu prometo,” disse D'us a Eliahu “que sempre que Meus filhos fizerem esse sinal em sua carne [i.e., sempre que houver uma circuncisão], você estará presente, e a boca que testemunhou que o povo judeu abandonou Meu pacto irá atestar que eles o estão mantendo.” É por esse motivo que os sábios instituíram que haja um assento de honra para Eliahu em toda cerimônia de brit milá.


10 – Judeus arriscaram a vida para circuncidar seus filhos Reb Mottel, um mohel e shochet, há muito tempo atrás, foi sentenciado a trabalhos forçados, na Sibéria pelos seus esforços corajosos em prol do Judaísmo. Na época da ocupação grega e romana de Israel, e mais recentemente na era comunista, os pais e mohalim judeus colocavam a si mesmos e seus filhos em grande risco, desafiando leis opressivas para manter este mandamento da Torá. Os sábios escrevem: “Uma mitsvá como a circuncisão, pela qual o povo judeu arriscava a própria vida, ainda é mantida fortemente.”


11 – O Sandak segura o bebê Às vezes descrito como o “padrinho” judeu, o sandak (geralmente um rabino ou parente amado) é honrado com a tarefa de segurar o bebê durante o Brit Milá. O sandak fica sentado, com o bebê no colo com a duração da breve cerimônia.


12 – Os Kvaters levam o bebê ao Sandak A mãe entrega o bebê aos kvaters, que o levam à circuncisão. Um casal composto por marido e mulher é honrado em repassar o bebê da mãe para o sandak. A mãe repassa o bebê para a mulher, que então entrega o bebê ao marido, que leva o bebê até o sandak. O casal é chamado de kvaters e é um papel com frequência dado àqueles que tentam conceber filhos, na esperança de que sua participação em levar essa criança ao pacto de Avraham seja considerada uma bênção para o casal ter seu próprio filho.


13 – O Bebê recebe o nome após a circuncisão Um mohel ajudando o pai a ler o texto. Após a circuncisão, uma prece é recitada para o bebê na qual seu nome judaico é usado (e assim anunciado) pela primeira vez. É costume que os pais mantenham em segredo o nome do bebê até esse momento.


14 – A circuncisão é seguida por uma refeição festiva Como no casamento, e outras cerimônias judaicas, a circuncisão é celebrada com uma refeição festiva. Durante essa refeição, as pessoas podem fazer discursos sobre temas da Torá, especialmente a importância do cumprimento desta mitsvá, o nascimento do bebê, ou o nome escolhido. A prece de Graças Após as Refeições(Birkat HaMazon) é recitada com trechos extras em honra à ocasião festiva.


15 – Quem Recomenda a circuncisão Embora não seja o motivo pelo qual os judeus praticam a circuncisão, é interessante notar que a Organização Mundial de Saúde (OMS) a promove como um meio eficaz de combater determinadas doenças. Deixando de lado os benefícios à saúde, os judeus circuncidam seus filhos simplesmente porque trata-se de um mandamento divino, um sinal da conexão de nossa nação com D'us, algo que transcende o consenso médico ou qualquer opinião vigente.


16 – Circuncisão é parte do processo de conversão Para um homem se converter ao Judaísmo, a circuncisão é parte do processo (que também inclui imersão num micvê e aceitação de todos os os mandamentos na prática). No caso em que o futuro convertido já foi circuncidado (como é frequente nos Estados Unidos), uma gota simbólica de sangue é extraída. Isso também é feito para um bebê judeu que nasceu sem prepúcio.


17 – A Noite anterior ao Brit Milá é passada inteira "em claro" Rabi Mendel Kaplan se preparando para sua aula. Muitos têm o costume de permanecer acordados a noite inteira antes do brit, estudando Torá. O pai da criança estuda excertos do Zohar discutindo a importância mística do Brit Milá. Essa vigília é chamada uma "vach nacht", “noite em claro"(acordada) em yidish. Na tradição sefaradita, é chamada Brit Yitschac, “Pacto de Isaac”. Há um antigo costume em que amigos e familiares trazem suas crianças no início da noite à casa do bebê antes do dia do Brit para recitarem versículos da Torá e pronunciarem a prece do “Shemá” na presença do bebê.


18 – Uma celebração é feita na sexta-feira à noite antes do brit Grão de bico é servido tradicionalmente num Shalom Zachar Grão de bico é servido tradicionalmente num Shalom Zachar Após a refeição do Shabat na sexta-feira à noite entre o nascimento e o Brit Milá, uma celebração conhecida como um shalom zachar é feita em homenagem ao bebê. Tradicionalmente, cerveja e grão de bico são servidos junto com outros alimentos. Um dos motivos para os grãos de bico é que eles lembram ovos e lentilhas redondas comidos numa casa em luto. O que há para prantear? No útero, o feto se quedava e estudava a Torá que foi esquecida logo após seu nascimento. Os grãos de bico são a forma de se lastimar a perda daquele estudo tão profundo.


19 – Oito significa um salto acima da lógica Por mais que estudemos e interiorizemos o lindo significado do Brit Milá, ele encontra-se além de nosso entendimento. Na verdade, expressa o vinculo que temos com D'us, que transcende a mente humana. Ao se colocar um sinal do vinculo com D'us no órgão da reprodução humana, o ato da procriação torna-se sagrado, espiritualizado e especial, acima do natural. Essa é uma das razões pelas quais o brit é feito no oitavo dia. O número sete significa a ordem racional, natural das coisas (sete céus, sete dias da semana, etc.). Oito é o salto além dos limites de nosso mundo e um, ascendendo ao infinito.


20 – Brit Milá é importante para o mundo inteiro. Os sábios dizem que a mitsvá da circuncisão equivale a todas as outras mitsvot da Torá. Céus e Terra somente existem pelo mérito desse ato especial.


Fonte: chabad.org



#Circuncisão #Judaísmo #Judeu